Vacinação Contra Covid-19 RJ 2021 – Quem Pode se Vacinar

Categorias: 2021 - Coronavírus - Notícias - Saúde

Confira aqui as principais informações sobre a vacinação contra o coronavírus no estado do Rio de Janeiro.

A vacinação contra a Covid 19 no estado Rio de Janeiro teve início na última segunda-feira, dia 18/01. A primeira vacina foi dada durante uma cerimônia simbólica que aconteceu no Cristo Redentor. Com a chegada das vacinas contra o novo coronavírus, surgiram muitas dúvidas e agora vamos esclarecer algumas das principais questões envolvendo a campanha de nacional de vacinação em caráter de emergência.



Primeira fase de vacinação no RJ

A primeira fase de vacinação contemplará poucos grupos por causa do número pequeno de doses recebidas, se comparado com a população do estado. Para uma população que é de aproximadamente de 17 milhões, coube ao Rio de Janeiro apenas 487 mil doses da vacina. Levando em conta que, para garantir a imunização são necessárias duas doses, a quantidade recebida servirá para imunizar 232.521 pessoas.

A vacinação nesta primeira fase está prevista para ser encerrada no sábado, dia 23/01.

Quem tem prioridade nesta fase?

Na primeira fase de vacinação contra Covid foi definido que os seguintes grupos têm prioridade:



  • Os trabalhadores da área da saúde;
  • Idosos abrigados em asilos ou abrigos, acima de 60 anos;
  • Pessoas portadoras de deficiência e que estejam em instituições;
  • Povos indígenas que morem em suas terras.

É bom ressaltar que, mesmo para estes que se encaixam nesses grupos, a vacina não é suficiente para imunizar todos. Portanto, os municípios terão que definir aqueles que dentre estes devem receber primeiro a vacina.

Na cidade do Rio de Janeiro, quem será imunizado nesta fase inicial?

Na cidade carioca, serão imunizados inicialmente:

  • Os profissionais da saúde que atuam na linha de frente durante a pandemia;
  • Profissionais da área da saúde que trabalharão na imunização contra a Covid-19;
  • Pessoas que trabalham em instituições que abrigam idosos por longo período;
  • Os idosos em instituições de longa permanência;
  • Portadores de deficiência abrigados nas instituições ou residências inclusivas.

Qual é o intervalo recomendado entre as duas doses?

A recomendação é de que a segunda dose seja administrada após duas ou três semanas depois da primeira.

Como está definido o plano nacional de imunização?

O ministério da saúde estabelece três fases para as primeiras imunizações. Na primeira estão: trabalhadores da saúde, pessoas acima de 75 anos, pessoas acima de 60 que vivem em instituições, população indígena que estão nas aldeias e povos ribeirinhos; a segunda fase é para as pessoas que têm entre 60 e 74 anos; e na terceira fase serão imunizadas as pessoas que apresentam alguma comorbidade.

Os demais grupos considerados prioritários ainda não têm uma definição sobre em qual fase estarão eles inseridos.

Que vacina está sendo usada nesta fase?

Embora a Anvisa tenha aprovado duas vacinas para o uso emergencial, apenas a Coronavac está disponível por enquanto. Esta vacina foi desenvolvida pelo laboratório Sinovac em parceria com o Instituto Butantan. Portanto, a vacina usada nesta primeira fase de imunização é a Coronavac.

Apesar de aprovada pela Anvisa, a outra vacina que foi desenvolvida pela Universidade de Oxford com o laboratório Astrazeneca e que tem parceria com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) não tem data definida ainda para ser utilizada no país.

Existe algum tipo de agendamento para a vacinação?

A vacinação não é agendada. O SUS também não envia nenhuma mensagem para celular com este objetivo.

Que documento precisa ser apresentado?

É necessário comprovar que faz parte do grupo que tem prioridade na fase da vacinação. O Ministério da Saúde recomenda que se informe o número do CPF, além de apresentar o cartão do SUS. Se a pessoa a ser vacinada ainda não for cadastrada, o registro no SUS pode ser feito na hora da imunização.

Pessoas que estejam fora dos grupos prioritários podem adquirir a vacina em clínicas da rede particular?

Por enquanto, todas as doses das vacinas que forem produzidas serão destinadas para a imunização dos grupos considerados de risco, gratuitamente. As vacinas não podem ser comercializadas por clínicas.

Os locais para a vacinação no RJ já foram definidos?

A Secretaria Estadual de Saúde, a princípio, já definiu que a vacinação será feita em clínicas da família e em postos de saúde. Já há 1,5 mil pontos escolhidos para este fim. Mas, de acordo com a necessidade, existe a possibilidade de criação de mais 3 mil postos em escolas, quartéis de bombeiros e shoppings.

Só na cidade do Rio de Janeiro vão ser 450 pontos para a aplicação da vacina. O município de Niterói terá 100 postos.

Em alguns postos a vacinação pode ser realizada no sistema drive thru.

O estado do Rio possui seringas e agulhas necessárias para realizar a vacinação?

De acordo com o estado, foram adquiridas 8 milhões de seringas e agulhas que foram distribuídas entre os seus 92 municípios.

Redatora Henri

Please follow and like us:


Outros Conteúdos Interessantes