Vacinação Contra Covid-19 RR 2021 – Quem Pode se Vacinar

Categorias: 2021 - Coronavírus - Notícias - Saúde

Confira aqui as principais informações sobre a vacinação contra Covid-19 em Roraima.



Teve início no último dia 19, a vacinação contra a Covid-19 em Roraima. O estado recebeu um total de 87 mil doses da vacina. De acordo com a Secretaria de Comunicação do governo, desse número, 10 mil vacinas serão destinadas para profissionais da saúde, enquanto que outras 77 mil para idosos e indígenas.

Segundo informações disponibilizadas pela Secretaria Estadual de Saúde (Sesau), conforme dispõe o plano estadual de vacinação na primeira fase, além dos trabalhadores da saúde, vai abranger pessoas com 75 anos ou mais; pessoas institucionalizadas com 60 anos ou mais, comunidades tradicionais ribeirinhas e a população indígena que vive em terras aldeadas demarcadas. Sobre os trabalhadores de saúde, a previsão é de que todos já estejam imunizados até sexta-feira, dia 22 de janeiro.

Já a segunda fase de vacinação envolverá as pessoas com idade entre 60 e 74 anos. A terceira fase será focada em pessoas que sofrem com algum tipo de morbidade, como câncer, obesidade grave, anemia falciforme, pessoas transplantadas, portadores de doenças cerebrovasculares, portadores de doenças cardiovasculares, quem tem doença renal, doença pulmonar obstrutiva crônica, hipertensão e diabetes mellitus.

A parte da população do estado que não faz parte do grupo prioritário será vacinada após a finalização das primeiras fases e assim que novas doses da vacina forem entregues ao estado. Essa última fase ainda não tem nenhuma data definitiva para começar, especialmente devido à própria produção das vacinas que, também, ainda está incerta.



A vacinação nas áreas indígenas será feita sob coordenação do Núcleo Estadual do Programa Nacional de Imunização (Nepni). O transporte das doses será feito por meio fluvial, aéreo e terrestre, de acordo com o que exige cada localidade.

Orientações para a vacinação

Aquelas pessoas que fazem parte de algum dos grupos prioritários devem seguir algumas recomendações e atender determinados requisitos exigidos pelo governo. O mais importante é comprovar, por meio de documentos, a necessidade de ser imunizado.

Os profissionais que atuam na área da saúde, por exemplo, deverão apresentar documentação que comprove que são trabalhadores ativos do setor de saúde. Também será válida alguma declaração emitida pelo serviço de saúde.

Quem tem entre 60 e 80 anos (ou mais), deverá apresentar documento pessoal para comprovar a idade. Já a população indígena será vacinada de acordo com a organização dos Distritos Sanitários Especiais Indígena (DSEI).

Para pessoas que pertençam ao grupo da população que apresenta alguma comorbidade será necessária a prescrição médica, detalhando o motivo pelo qual a vacina é recomendada. Essa prescrição deverá ser apresentada no ato da vacinação.

No caso dos professores, a documentação deverá comprovar vínculo ativo do docente com alguma escola. Declaração emitida pela instituição de ensino também será aceita.

No caso das forças de salvamento e segurança, assim como dos funcionários que atuam no sistema prisional, também será necessário apresentar documentação comprovando o vínculo ativo com alguma das entidades. Apresentação de declaração emitida pelo serviço no qual trabalha também será aceita.

A primeira pessoa a ser vacinada no estado de Roraima foi a indígena Iolanda Pereira da Silva.

Mais vacinas

Devido a uma série de fatores, a vacina de Oxford em parceria com a Fiocruz ainda não está disponível no Brasil. Havia a expectativa para a chegada de 2 milhões de doses vindas da Índia, porém, o país deixou o Brasil de fora das primeiras entregas.

Sobre o segundo lote da Coronavac, o Instituto Butantan informou que já fez a solicitação junto a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para autorização de uso emergencial para um lote com mais 4,8 milhões de doses.

Por Denisson Soares



Outros Conteúdos Interessantes