FGTS – O que acontece se não sacar o saldo?



As pessoas que preferem não mexer no dinheiro que possuem depositados no FGTS, podem deixa-lo reservado para outras ocasiões. Esses valores voltam para a conta do FGTS, e isso não irá comprometer o valor do fundo, nem a sua rentabilidade.

Quem trabalha com carteira assinada no Brasil sabe que em caso de demissão do emprego é possível contar com o FGTS, que ajuda o trabalhador então desempregado a se manter até que consiga uma nova fonte de renda, o que é muito importante. Porém, por incrível que pareça, muitos trabalhadores não realizam o saque deste benefício. Dessa forma, fica a dúvida sobre o que acontece com o dinheiro quando o trabalhador não faz o saque. Se você também possui esta dúvida, continue a ler este artigo e fique informado sobre o assunto.

Como todo mundo já sabe, o FGTS é o Fundo Garantidor por Tempo de Serviço, um fundo planejado pelo Governo Federal com a finalidade de criar para o trabalhador uma reserva de dinheiro. Assim, o trabalhador que atua com a carteira de trabalho assinada tem uma conta aberta na Caixa Econômica e nessa conta o seu empregador mensalmente realiza um depósito. De modo que todo mês deve ser depositado o equivalente a 8% do valor do salário que consta na carteira profissional.



A Caixa Econômica Federal é a instituição que fica responsável pela administração do dinheiro do fundo do trabalhador. Dessa forma, quando o Governo faz o anúncio de saques, os trabalhadores que possuem contas tem o direito de fazer o saque, geralmente seguindo um calendário previamente anunciado.

Neste ano de 2019, em razão da forte crise que atingiu a economia do país o Governo criou uma Medida Provisória para permitir que os trabalhadores de contas ativas e inativas tivessem direito a um saque imediato no valor máximo de 500 reais.

Os saques já começaram a ser realizados neste mês de setembro e os trabalhadores seguem o calendário que é de acordo com a data de nascimento. O dinheiro estará disponível até o mês de março do ano que vem. Como foi dito anteriormente o limite de saque é no valor de 500 reais, porém este valor é por conta. Caso o trabalhador possua mais e uma conta no FGTS poderá sacar o referente as duas ou mais, contando que o limite para cada é de R$500.



Mesmo com essa crise toda no país, que acabou gerando um número ainda maior de desempregados, ainda existem pessoas que preferem não mexer no dinheiro que possuem depositados, deixando-o reservado para outras ocasiões. Porém, alguns depósitos do saque imediato estão sendo feitos de forma automática para quem possui conta na Caixa. Ou seja, o trabalhador que tem conta na Caixa terá o seu dinheiro depositado, mesmo que ele não queira.

Por isso, a Caixa deixa claro aos trabalhadores que não desejam fazer o saque de seus saldos que estes devem manifestar o seu desejo de não receber o dinheiro, para isso é só acessar o site da Caixa ou se utilizar de outros canais disponibilizados, até a data de 30 do mês de abril de 2020.

Caso os saldos disponibilizados para os trabalhadores que não possuem conta na Caixa não sejam sacados, esses valores devem voltar para a conta do FGTS, e isso não irá comprometer o valor do fundo, nem a sua rentabilidade. Assim, o trabalhador não corre o risco de perder dinheiro, como ocorre em relação ao PIS/Pasep que quando o trabalhador não faz a retirada no prazo determinado, faz com que o dinheiro volte para os cofres do Fundo do Trabalhador e não é mas possível fazer o saque.

Por isso, se você é trabalhador e não quer fazer a retirada do seu saldo do Saque imediato, não se preocupe, pois o seu dinheiro permanecerá intacto na sua conta de FGTS. Agora, para quem manifestou o desejo de ter o dinheiro depositado, este já não será recolhido.

Analise as suas necessidades e faça o que for melhor.

Por Sirlene

FGTS



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *