Horário de Verão 2018-2019 – Novo Adiamento



O horário de verão 2018-2019 foi adiado novamente. A nova data passou para 18 de novembro de 2018 por pedido do MEC em razão da aplicação das provas do Enem.

Até agora, nos anos anteriores e em todos os Estados em que o horário de verão era aplicado como regra, a data para o adiantamento em uma hora do relógio sempre ocorria no terceiro domingo do mês de outubro. Dali em diante, os ponteiros somente voltavam ao normal em quatro meses, nos meados do mês de fevereiro.

Porém, em 2018, o calendário para o horário de verão já sofreu duas importantes alterações, sendo o primeiro marcado em razão das Eleições, em um decreto realizado em dezembro de 2017. Agora, novamente uma importante mudança foi anunciada, uma vez que o Exame Nacional do Ensino Médio, o Enem, deve ocorrer na primeira data em que houve a modificação.



Sendo assim, o novo adiamento agora é para o dia 18 de novembro. Uma vez que a data final ainda não foi alterada, tudo indica que esse horário de verão será mais curto que os anteriores.

Apesar de ser dada como garantida pelo governo, essa decisão ainda precisa ser oficialmente publicada no Diário Oficial, de forma que seja instituída por um decreto e que passe a ter validade.

Causas de adiantamentos

Em primeiro lugar, por um pedido do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), foi feito o adiamento por parte do Ministério de Minas e Energia (MME), responsável pela alteração nos horários, para o dia 4 de novembro. Isso aconteceu uma vez que o primeiro e segundo turno das eleições ocorrem nas datas de 7 de outubro e 28 de outubro, respectivamente.



Sendo assim, o objetivo do TSE era o de garantir uma apuração de votos ao mesmo tempo na maior parte dos Estados, dando maior agilidade também à divulgação dos resultados finais. Ficará como único Estado sob um fuso diverso o Acre, que possui duas horas de diferença em comparação ao horário de Brasília. Sendo assim, às 17h de lá, já serão 19h no restante do país.

Após essa decisão, o Ministério da Educação também realizou o seu apelo ao MME para que um novo adiamento fosse feito, em razão da aplicação das provas do Enem, que ocorrerão em 4 e 11 de novembro. A estratégia é a de diminuir o risco de que alguns candidatos errem o horário para o fechamento de portões, que é marcado para as 13h.

Sua adoção no Brasil

Sendo a nova data marcada para o dia 18 de novembro, o horário de verão é adotado no Brasil, com interrupções mínimas, desde o ano de 1931, quando governado por Getúlio Vargas. O seu objetivo principal é o de reduzir o volume de consumo de energia elétrica em horários de pico de gasto, que ocorre entre as 18h e 21h.

Outro efeito positivo e visado pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), uma entidade de caráter privado e sem fins lucrativos regulada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) é a de reduzir a sobrecarga no sistema que gera e transmite a energia no país.

Essa sobrecarga possibilita, inclusive, resultados negativos como os famosos apagões. A mesma economia também colabora na redução de que o governo precise recorrer a outros recursos, como o uso de energia termelétrica, que queima o carvão e é uma opção mais poluente e cara.

Impasse sobre o Horário de Verão

Desde meados do ano de 2017, há um estudo sendo feito pelo Governo Federal para eliminar por completo a ideia do horário de verão. O ONS, que é responsável direto por todo o sistema elétrico no Brasil, publicou naquele ano uma avaliação técnica que constatou que, devido às mudanças na composição e no perfil da carga, o horário de verão tem trazido resultados decrescentes e cada vez mais próximos à neutralidade, seja em relação à economia de energia ou em termos de redução da sobrecarga no sistema elétrico.

Com isso, a economia que foi obtida pelo menor uso de energia em horários de pico pela iluminação natural foi prejudicada pelo aumento no consumo da mesma durante a madrugada. Isso porque, o aumento da temperatura durante o período noturno traz um novo vilão que substitui o consumo do chuveiro: o ar condicionado.

Na Europa, no mês de agosto de 2018, a Comissão da União Europeia trouxe uma consulta pública para estudar se os cidadãos europeus são a favor ou contra a política de manter o horário de verão. O resultado foi expressivo, indicando que 80% dos respondentes eram contra a sua manutenção.

Agora, o assunto será debatido diretamente no Parlamento Europeu, sendo apreciado, por fim, pelos governos nacionais.

Por Kellen Kunz

Horário de verão

Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *