Fim do Horário de Verão 2017/2018 – O Que Fazer

Categoria: Brasil, Economia, Notícias 322 0

  

Horário de CVerão 2017/2018 acaba neste final de semana. Saiba aqui o que fazer para manter o seu relógio com a hora certa.

Já estamos na segunda quinzena do mês de fevereiro de 2018 e depois de quatro meses, neste fim de semana iremos nos despedir do Horário de Verão. Este que divide muitas opiniões onde foi implementado, sendo odiado por uns e amado por outros.

O horário de verão teve início no mês de outubro de 2017 e está previsto para terminar na primeira hora do próximo domingo, dia 18 de fevereiro. Assim, quando os ponteiros chegarem à meia- noite entre o dia de sábado e domingo, os relógios devem ser atrasados em uma hora, ou seja, devem voltar para a marcação de 11 horas.

No total, além do Distrito Federal, 10 estados brasileiros aderiram ao horário de verão, sendo eles Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Espírito Santo, Santa Catarina, Goiás, Paraná, Mato Grosso do Sul e Mato Grosso.

Já a região leste do estado do Amazonas e os estados de Rondônia e Roraima ficam em relação ao horário de Brasília com um atraso de uma hora, enquanto que a região oeste do estado do Amazonas e o Acre ficam em relação à Brasília com 2 horas de atraso.

Como todos já sabem, o horário de verão foi criado com a finalidade de gerar uma economia para o país, pois com um aproveitamento maior do período de luz solar os residentes destes estados demoram mais para usar a luz elétrica.

O Horário de Verão foi inaugurado no Brasil no ano de 1931, voltando a ser utilizado em anos posteriores, mas não havia uma regularidade como existe hoje. Apenas a partir do ano de 2008 que esse horário se tornou regular, sendo marcado sempre para iniciar no terceiro domingo do mês de outubro e ser encerrado também no terceiro domingo do mês de fevereiro do ano seguinte.

No ano de 2017 o Governo Federal considerou a hipótese de cancelar o horário de verão, visto que um estudo apontado pelo Ministério de Minas e Energia apontou que essa modalidade de horário com o passar dos anos tem perdido sua efetividade. De acordo com informações do estudo, o consumo de energia em termos de intensidade está mais relacionado com a temperatura do que necessariamente com o horário, sendo que nas horas mais quentes o consumo era maior.



Contudo, como o país passa por um momento de estiagem, em que por falta de chuva as hidrelétricas apresentam níveis de água mais reduzidos, fazendo com que as termelétricas tenham que ser acionadas, ou até mesmo é necessário a compra de energia de outros países, o que gera um custo alto para o governo. Diante disso, o horário de verão não pode ser cancelado.

Desse modo, Michel Temer editou um decreto que visa a redução da duração do horário, sem precisar cancelá-lo definitivamente. Dessa forma, para o ano de 2018 o horário de verão terá início mais tarde, sendo a data prevista o dia 04 do mês de novembro.

Essa nova data se dará exatamente num prazo de oito dias após a realização do segundo turno das eleições presidenciais de 2018, que está marcado para o dia 28 do mês de outubro.

Na realidade essa mudança de data para início do horário de verão se dá por meio de um pedido emitido por Gilmar Mendes, que é o atual presidente do TSE, que é o Tribunal Superior Eleitoral. Segundo o presidente, com esse atraso no início do HV eventuais atrasos na apuração dos votos podem ser evitados, inclusive na divulgação dos resultados, já que a diferença entre os horários de alguns estados é bem grande, como no Acre, que possui 3 horas de diferença.

Enfim, por hora o que devemos focar é em no próximo domingo já estarmos com os relógios atrasados em uma hora. Fique atento e comece o domingo com a hora certa.

Sirlene Montes



Artigos Relacionados

Deixar um Comentário