Brasileirão Série A 2017 – Chances de Rebaixamento

Categoria: Esportes, Futebol, Notícias 1.735 0

  

Confira aqui as chances de rebaixamento dos times após 24 rodadas do Brasileirão Série A 2017.

O Campeonato Brasileiro já está no seu segundo turno de andamento e os times já estão se encaminhando para as decisões finais. Na parte de cima a disputa pelo título, apesar do altos e baixos do Corinthians, já vêm desenhando um campeão para esse ano. Com a desclassificação na Sul-Americana e a classificação do segundo colocado, Grêmio, para as semifinais da Libertadores, o time paulista deve ter foco total no Brasileirão e confirmar o bom campeonato que fez durante o ano. Já na parte de baixo da tabela a disputa é mais acirrada. Por isso, apresentaremos a vocês uma relação com as possibilidades matemáticas de cada time para o rebaixamento à Série B 2018. As próximas rodadas prometem muita emoção para São Paulo, Coritiba, Vitória, Bahia, Ponte Preta e Atlético-GO. A briga por manter seu lugar na Série A vem se acirrando desde o primeiro turno e agora mais do que nunca os jogadores devem dar o sangue pela bola e vencer os próximos combates.

Apesar de a classificação do campeonato ser através de pontos corridos, essa modalidade pode distorcer um pouco a realidade. O aproveitamento e os resultados dos times, assim como os próximos confrontos, podem contorcer completamente a classificação do campeonato. Por isso, uma análise profunda em probabilidades matemáticas foi feita por vários sites como InfoBola, Chaces de Gol e UFMG. Então, confira as possibilidades de rebaixamento de cada time do campeonato:

Para o site InfoBola as probabilidades de risco de rebaixamento para os times da primeira divisão são as seguintes:

  • Atlético-GO 77%
  • Vitória 43%
  • Coritiba 41%
  • São Paulo 33%
  • Bahia 41%
  • Ponte Preta 39%
  • Chapecoense 32%
  • Avaí 26%
  • Sport 25%
  • Fluminense 12%
  • AtléticoMG 14%
  • Vasco 12%
  • AtléticoPR 3%
  • Botafogo 1%
  • Cruzeiro 1%
  • Flamengo
  • Palmeiras
  • Santos
  • Grêmio
  • Corinthians

Percebam que nessa tabela o último colocado Atlético-GO (77%) têm cerca de 30% mais riscos de chance de cair do que o seu sucessor o Vitória (43%), isso mostra o quão acirrada está essa disputa na parte de cima do Z4, principalmente. O São Paulo, por exemplo, tem menos riscos do que o próprio Bahia, que nem se encontra na zona da degola no momento e é 16º colocado. Além disso, a pontuação dos dois times, junto com a do Coritiba, é a mesma (27 pontos). Eles estão a 2 pontos, por exemplo, do 12º colocado, o Sport Recife (25%). Portanto, deduz-se que muitas mudanças ainda podem acontecer, o perigo e as disputas não se encontram apenas nas 4 últimas colocações e sim vai desde o último colocado até o 12º ou mesmo o 10º, Atlético- MG. Então, cada partida será uma Copa do Mundo a partir de agora para os jogadores.

No próximo gráfico você confere as probabilidades sem interferência da classificação por pontos para compreender a relação.

1. Atlético-GO 73,9%

2. Coritiba 42,7%

3. Bahia 41,9 %

4. Vitória 41,2%

5. São Paulo 39,7%

6. Ponte Preta 37,9%

7. Chapecoense 31,6%

8. Sport 25,6%

9. Avaí 21,7%

10. Fluminense 13,5%



11. Vasco 13,3%

12. AtléticoMG 13,1%

13. AtléticoPR 2,6%

14. Botafogo 0,47%

15. Cruzeiro 0,46%

16. Flamengo 0,28%

17. Palmeiras 0,020%

18. Santos 0,015%

19. Grêmio 0,002%

20. Corinthians 00%

Nessa tabela realizada pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), a analise é mais profunda e a dinâmica diferente. De cima para baixo temos os times com maiores probabilidades de rebaixamento e ao seu lado os dados em percentagem. Como na tabela anterior, o Atlético-GO é líder e confirma uma maior possibilidade de terminar 2017 na Série B. Porém, as coisas começam a ter um rumo diferente a medida que descemos na tabela. Note que o Coritiba e o Bahia estão com mais possibilidades de rebaixamento do que o Vitória, o penúltimo colocado. Isso mostra que nem tudo é o que parece ser na tabela do Brasileirão. Logo em seguida o São Paulo está fora do Z4 em termos de probabilidade e deverá provar isso em campo nas próximas rodadas também. Nota-se também um modificação no meio da tabela com o risco aumentando para o time do Sport Recife.

Por fim, é interessante perceber como as disputas ainda se dão até a 12º colocação, após isso, o risco diminui exaustivamente.

Agora resta esperar que os times deem o seu melhor e provem que estatística não ganha jogo e somente os resultados podem mantê-los na elite do futebol brasileiro.

Jean Carlos Weber Andrades



Artigos Relacionados

Deixar um Comentário